Início → Cidade 
LUANDA A CIDADE DO FUTURO


Luanda é lugar de revelação de proposta de organização da vida, aglomerando diversas culturas, raças, gerações, crenças e actividades. Na sua vontade de proximidade, juntando pessoas e projectos, energias e talentos, factos e sonhos, estabelecem um diálogo do património com a modernidade. Entre o movimento de progresso que projecta para o futuro e a necessidade de preservar o passado, a cidade histórica é transformada e modernizada, para assim continuar a viver. Formada por sedimentações sucessivas, a Luanda contemporânea é uma justaposição de elementos díspares e contrastantes, dotados de heterogeneidade e conjugados em dois tempos. A única resposta possível é devolver o passado a cidade e construir um futuro.


Actualmente, Luanda alberga mais de 8 milhões de habitantes, em resultado do êxodo rural e da chegada massiva de angolanos da diáspora durante últimos trinta anos. No sentido de elevar os níveis de condições de vida da população da população, é necessária a reabilitação e modernização do centro da cidade e a expansão da cidade rumo a novos eixos, com objectivo de lhe conferir um enquadramento urbanístico de grande qualidade. O futuro de Luanda assenta na capacidade dos agentes intervenientes nas áreas políticas empresariais, universitárias, tecnológicas, culturais e sociais, em desenvolverem uma estratégia coerente e conjunta.


Hoje reconhece-se que as questões que se colocam a cidade de Luanda passam pelo importante papel de dinamização do tecido social e económico. Estes funcionam como eixo de inovação da cultural, social e tecnológica e são espaços que desenvolvem modernas e avançadas actividades onde se dinamizam novas formas de recreio e lazer, garantindo áreas residenciais para as populações. É fundamental impulsionar, coordenar e também actuar sobre a vida da urbe, sempre numa perspectiva visionária, dotando-a de soluções de mobilidade, de trabalho e residências, aptas a dar resposta às necessidades dos habitantes.


As preocupações ambientais revelam-se no estabelecimento de novas políticas que permitam minimizar riscos futuros. São edificados novos espaços públicos e zonas verdes, recuperam-se os arruamentos e reabilitam-se jardins. A cidade está mais verde e respira-se melhor.


A política de arborização da cidade deu-lhe a ganhar novos tons de verde. Os jardins têm árvores frondosas e flores coloridas e funcionam como um pulmão da cidade. Os parques infantis têm crianças com sorriso no rosto. As escolas são frequentadas por olhos atentos e ouvido á escuta, que querem encontrar respostas para a natural curiosidade infantil.


Os hospitais, dotados de mais e melhores máquinas, zelam pela saúde dos habitantes, a par da extensão e melhoramento das redes sanitárias. Diversas obras de drenagem e obras da rede viária, em curso, quando concluídas, irão beneficiar as populações locais, quer na mobilidade quer na qualidade ambiental. As preocupações na recolha dos resíduos sólidos urbanos, no fornecimento de água e de energia eléctrica, bem como nas actividades produtivas, mercados e feiras, são uma constante e estão em curso, identificadas no programa de melhoria e aumento de ofertas de serviços sociais básicos as populações da província.

E se uma das preocupações é requalificar edifícios históricos e zonas de valor turístico ou cultural, outra é a de construir novos edifícios.

Hoje com a nova divisão política ou administrativa de Luanda, a Província conta com sete (7) Municípios e seis (6) Distritos Urbanos. Entre eles: Município de Luanda, Município de Belas, Município do Cazenga, Município de Viana, Município de Cacuaco, Município do Icolo e Bengo e o da Quissama.

Limites geográficos do município de Luanda

O município de Luanda, com sede na cidade de Luanda, que compreende os distritos urbanos da Maianga, Ingombota, Kilamba Kiaxi, Rangel, Samba e Sambizanga, tem os seus limites geográficos descritos em publicação no Diário da República, órgão oficial da República de Angola.

Segundo o DR de 22 de Março de 2012, primeira série, número 56, o município de Luanda é limitado por uma linha perpendicular que parte da costa marítima no Oceano Atlântico e liga ao Farol das Lagostas, seguindo a rua projectada para sul interceptando a estrada de Cacuaco.

Na estrada de Cacuaco para o sentido Oeste liga as ruas E-60, vala do Soroca até ao ponto de intercepção com a linha-férrea Luanda/Catete, de onde segue para Sul até ser interceptada pela vala de drenagem das águas pluviais Cazenga/Cariango e daí até interceptar com avenida Deolinda Rodrigues.

Na avenida Deolinda Rodrigues intercepta na parte Este com a rua do muro do Quartel do Grafanil, desta em direcção a Sul segue várias outras (vias) até a Este, voltando a tomar o Sul até ser interceptada com a rua Bakita e a Este cruza com a Estrada do Camama/Viana.

No Camama/Viana para o sentido Oeste avança até interceptar com a rotunda do Camama, desta zona ao troço da estrada direita do Camama para Norte até interceptar a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy) em direcção ao Sul e da Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy) até convergir com a 21 de Janeiro (rua do Kikagil).

Na 21 de Janeiro em toda a sua extensão em direcção ao Sul intercepta com a rua da Samba, da Samba para o Norte até ao ponto que liga a vala de drenagem das águas pluviais que passam junto do Clube das Nações Unidas e da vala de drenagem para a jusante até a sua foz na costa marítima.

Da costa marítima vai para o sentido Norte até ao ponto em que a costa é interceptada pelo paralelo do vértice Farol das Lagostas.

Limites geográfico dos distritos de Luanda:

Distrito da Ingombota, Distrito da Maianga, Distrito do Rangel que engloba três bairros, segundo o Diário da República, primeira série, número 56 de 22 de Março de 2012.

Trata-se dos bairros Terra Nova, Marçal e Rangel, tem como limites o cruzamento da Avenida Ho Chi Min com a Avenida Hoji-ya-Henda, seguindo esta em direcção Este até ser interceptada pela rua Francisco de Sã Miranda, desta intercepta a Cónego Manuel das Neves, ligando a Ngola Kiluanje.

Da Ngola Kiluanje há uma intercepção com a rua P-40 ao longo da linha férrea, na linha férrea para Sul até cruzar com a vala de drenagem do Cazenga-Cariango, nesta para a jusante até atravessar a Avenida Deolinda Rodrigues.

Na Avenida Deolinda Rodrigues para Oeste até a intercepção com a Avenida Ho Chi Min no largo Primeiro de Maio, desta Avenida até ao cruzamento com a Avenida Hoji-ya-Henda.

Distrito do Kilamba Kiaxi inclui Bairro Popular, Golfe e Palanca

Os bairros Popular, Golfe e Palanca constituem o distrito urbano do Kilamba Kiaxi, pertencente à zona administrativa da cidade de Luanda, município de Luanda.

A informação consta da primeira série, número 56 datada de 22 de Março de 2012, do Diário da República.

De acordo com o diário, o Kilamba Kiaxi inicia geograficamente na Avenida Deolinda Rodrigues (ponte da Unidade Operativa) até ser interceptada pela rua projectada na parte Este do muro do Quartel do Grafanil, nesta rua em direcção a Sul até interceptar com a via projectada e desta para Sul até ser interceptada com a zona Bakita.

Da Bakita para Este, até cruzar a estrada Camama-Viana, Camama-Viana para Oeste intercepta com a rotunda do Camama, desta a estrada direita do Camama para Norte cruzando a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy).

Distrito Urbano da Samba

Os limites geográficos do Distrito Urbano da Samba, com sede no bairro da Corimba (Samba Grande e Pequena), município de Luanda, que compreende os bairros da Corimba, Rocha Pinto e Morro Bento, foram publicados no Diário da República (DR), primeira série, número 56 de 22 de Março de 2012.

De acordo com o DR, a localidade começa na linha imaginária que une a costa marítima ao ponto de intercepção da Marginal Sudoeste (Praia do Bispo) com a rua Comandante Arguelles, desta até à rotunda da Samba à estrada da Corimba e Barra do Kwanza, que parte da rotunda sul até ser interceptada pela zona projectada na ex-rotunda da Corimba.

A divisão abrange também o troço da ex-rotunda da Corimba até a intercepção com a Avenida 21 de Janeiro (na ex-rotunda do Gamek) e a rua que passa pela Vila do Gamek até à sua junção com a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy), para sul, sendo interceptada pela 21 de Janeiro (rua do Kikagil). Esta faz ligação com a Corimba e Barra do Kwanza.

Faz ainda parte dessa divisão, parte da Barra do Kwanza até a vala de drenagem que passa pelo Clube das Nações Unidas (ex-rotunda da Corimba) e desta até a sua Foz, seguindo a Costa do Oceano Atlântico para Norte até ao ponto de intercepção da Marginal Sudoeste (Praia do Bispo) com a rua Comandante Arguelles.

Limites do Distrito Urbano do Sambizanga publicado no Diário da República

Os bairros Operário, Sambizanga e Ngola kiluanje conformam o distrito urbano do Sambizanga, pertencente a zona administrativa do município de Luanda. A informação consta da primeira série, número 56 datada de 22 de Março de 2012 do Diário da República (DR).

De acordo com o DR, a localidade inicia os seus limites geográficos numa linha perpendicular que parte da costa marítima no Oceano Atlântico ligando o Farol das Lagostas, seguindo a rua projectada para Sul interceptado a estrada de Cacuaco, desta via para Oeste até ser intercedida pela zona projectada.

Desta rua projectada até ser interceptada pela rua E-60, da E-60 a Cacuaco, no Vale do Soroca até ao ponto de intercepção com a linha férrea Luanda-Catete, na linha férrea Luanda-Catete para Sul até ser interceptada pela Avenida Ngola Kiluanje, nesta avenida até ligar a rua Cónego Manuel das Neves.

Da Cónego Manuel das Neves até ser interceptada pela rua Francisco de Sá Miranda, esta intercede com a Avenida Hoji-ya-Henda, a Avenida Hoji-ya-Henda para Oeste até cruzar com a Alameda Manuel Van-Dúnem até ao ponto de intercepção com a Massangano e nesta cruza-se a rua de Benguela.

Do troço da rua de Benguela até a intercepção com a Avenida Ho Chi Min, nesta cruza a Ndunduma, a Alameda Príncipe Real que parte do ponto anteriormente definido, cruzando a Presidente Houari Boumediene, surgindo nesta zona uma linha imaginaria em prolongamento até ao largo fronteiriço ao Cinema Miramar.

Desta zona e do ponto trigonométrico existente no ex-Campo de Tiro do Clube de Caçadores até ao ponto de intercepção da rua dos municípios com a Soba Mandume, seguindo as alturas das barrocas atinge a rotunda formada pela intercepção da Avenida Kima Kyenda com a estrada Lueji Anconda.

Na Lueji Anconda segue a estrada em direcção a Refinaria até interceptar a vala de drenagem do Vale do Soroca, o curso desta a vala para jusante até à sua foz no Oceano Atlântico.

Limites geográficos do Município de Belas.

A presente lei cria o Município de Belas na Província de Luanda.

Diario da Republica, I SÉRIE — N.º 75 — DE 21 DE ABRIL DE 2011

ARTIGO 2.°

O Município de Belas, para efeitos da divisão administrativa, compreende os seguintes limites geográficos:

A foz do riacho que passa junto da Quinta Rosa Linda, na costa do Oceano Atlântico, seguindo este riacho para montante até cruzar com a estrada da Corimba; o troço da estrada da Corimba em direcção Sul até cruzar com a Avenida 21 de Janeiro; o troço da Avenida 21 de Janeiro até cruzar com a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy); a Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem (Loy) em direcção Este-Nordeste até ao cruzamento da estrada que passa em frente do condomínio dos deputados; o troço desta estrada até à rotunda da estrada Camama/Viana; a estrada Camama/Viana em direcção Este até ao cruzamento da estrada Uengemaca/Sapu (designação não oficial); esta estrada até cruzar com a estrada terraplanada mais a Este daquela estrada; o troço desta estrada terraplanada até cruzar com o leito Onga Bandeira; o curso do leito Onga Bandeira para jusante até à sua confluência no leito Guengue; o curso do leito Guengue até à sua confluência no Rio Cuanza; o curso do Rio Cuanza até à sua foz no Oceano Atlântico; a foz do Rio Cuanza seguindo a costa do Oceano Atlântico para Norte até à confluência da foz do riacho que passa junto da Quinta Rosa Linda, incluindo a península do Mussulo e ilhéus adjacentes.

2. Os limites dos Municípios da Província de Luanda contíguos ao Município de Belas, são ajustados aos limites fixados, nos termos do n.° 1 do presente artigo e do mapa anexo.

ARTIGO 3.°

(Sede do Município de Belas)

A sede do Município de Belas é a Cidade do Kilamba


O TEMPO

INQUÉRITO
O que acha do actual site do Governo Provincial de Luanda(GPL)





CONTADOR DE VISITAS
Copyright © 2012 Governo Provincial de Luanda - Desenvolvido por Tech-Sys Angola
  • facebook
  • twitter